Resenha 2ª Choque Running – Recife/PE

Corrida de rua do batalhão do Choque chega em sua segunda edição com sucesso de público e organização

O corredor de rua quer sempre conhecer novos lugares para percorrer e gastar o tênis, novos trajetos e fica feliz quando o pós corrida vai além de um kit com frutas e um copinho de suco. Nisso a 2ª Choque Running soube como impressionar e deixou os atletas no mínimo surpresos.

De corrida militar a gente sempre espera algo diferenciado e essa já iniciou com a largada: duas granadas de luz e som, fortes e estrondosas a ponto de serem ouvidas três ruas depois. Foi com esse barulho enorme e em meio a um pouco de fumaça que o pelotão de corredores seguiu pelas ruas do Derby iniciando um evento que pode se considerar consagrado no calendário de corridas de rua de Pernambuco.

Verão e sol? Sim, tempo quente como já era de se esperar. Mas contrariando o medo dos corredores de uma largada de 7h com muito calor, a maior parte do percurso dos 5 km foi na sombra entre os prédios e pontos comerciais do bairro, ajudando a amenizar a jornaada. Os atletas dos 10 km, infelizmente, sofreram um pouco em trechos longos banhados por raios solares intensos mas curtiram uma paisagem legal passando pela beirada do rio.

O pós prova não foi simplesmente pegar a medalha e ir embora, como é de costume. Teve música no batalhão agitada ao melhor estilo Tropa de Elite, veículos militares do Choque disponíveis para fotos, sirene de alerta tocando (nada de perigo, só para agitar os corredores), banho de mangueirada (a mesma usada para dispersar a multidão em conflitos) e um pouco de fumaça de efeito moral só para os corredores sentirem como é o dia a dia de guerreiro do batalhão. A fumaça com leve toque de pimenta não agradou muito à maioria não mas deixou a mensagem que não é fácil ganhar do Choque, hein!

A cobertura fotográfica ficou com o Foco Radical, disponível no site www.focoradical.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *